Minimercados em condomínios

Um espaço de compras sem contato com atendentes, onde o morador pode efetuar suas compras a hora que quiser, praticamente sem sair de casa. Tendência que já estava nos escritórios vem ganhando espaço nos condomínios residenciais.

Nos últimos anos as maneiras que as pessoas se relacionam com tarefas comuns do dia a dia vem mudando. Com novas formas de trabalho, buscas por diferentes espaços de moradia, e principalmente, buscando praticidade.

Desde março de 2020 mesmo os mais conservadores precisaram se adaptar às mudanças necessárias com o início da pandemia de COVID-19. As medidas de isolamento para tentar conter a contaminação do vírus aceleraram mudanças que já aconteciam em lugares específicos e abrangeram outras realidades.

Ir ao supermercado, hoje, depende de muitos cuidados e protocolos. A escolha pelas compras online aumentou muito e empresas buscaram desenvolver outras maneiras de facilitar essa tarefa e oferecer conforto, praticidade e segurança para os consumidores.

As estruturas de minimercados inteligentes já eram instaladas em escritórios e prédios comerciais para facilitar a vida dos frequentadores desses lugares. Com empresas aderindo ao home-office e esses ambientes esvaziados, startups buscaram nos condomínios residenciais um novo público de interesse nessa nova forma de consumo.

Como funciona um minimercado?

O espaço necessário para a instalação de um minimercado é pequeno, normalmente uma parede de 3,5 metros. Caso o condomínio não tenha espaço interno as empresas podem instalar containers. A estrutura precisa ainda de tomada 220V, internet com ponto de rede cabeada e câmeras de segurança para monitoramento.

Os produtos ficam distribuídos em prateleiras e refrigeradores. Toda a estrutura é oferecida e montada pela empresa. O condomínio não arca com nenhum custo de aquisição ou franquia, ficando isento de qualquer relação ou responsabilidade sobre o negócio.

A variedade dos produtos e os tipos de itens selecionados são feitos com base no comportamento de venda, podendo variar entre condomínios e pela disponibilidade de mercado.

O modelo de negócio e o sistema de compra são totalmente abertos, baseados na confiança, onde o consumidor participa de todo o processo. Ele escolhe os produtos, pega e paga sem qualquer contato com atendente. O pagamento pode ser feito em um totem com leitora de cartão ou através de aplicativo de celular.

Aberto 24 horas por dia, os minimercados oferecem conforto e ganho de tempo aos moradores. Essa é mais uma mudança de rotina que garante ficar na vida das pessoas no período pós-pandêmico.

Você já conhecia essa tendência de minimercados? Se ficou interessado, compartilhe essa ideia e veja se é possível a adesão em seu condomínio!